Internet Segura: Procon Sergipe dá dicas para proteger os seus dados no ambiente virtual

Preocupação com a segurança na internet é cada vez mais constante para a população e para o órgão de defesa do consumidor

Mais do que estar online, as pessoas passaram a realizar mais transferências entre contas, pagamentos e compras por meio da internet. Por isso, a preocupação com a segurança dos dados se tornou ainda maior não só para consumidores, mas também para órgãos de proteção, como a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Sergipe).

Com o aumento da vida digital, também houve um aumento na quantidade de dados pessoais e informações, muitas vezes sigilosas, que estão disponibilizadas na internet. Apesar de todos acreditarem que estão em um ambiente seguro ao inserir seus dados em sites, o ‘Fraudômetro’, ferramenta de contagem de tentativas de fraude de identidade registradas do Serasa Experian, registrou, até o dia 31 de janeiro deste ano, aproximadamente 3 milhões e meio de tentativas de fraude desde janeiro de 2023.

“Infelizmente, com o aumento no número de transações e compras online, pessoas mal-intencionadas se aproveitam para aplicar golpes nos consumidores e também roubar os seus dados. Por isso, chamamos a atenção tanto dos consumidores quanto das pessoas jurídicas, para que mecanismos de segurança da informação sejam utilizados para resguardar os dados dos consumidores, como o número do CPF, dados bancários, informações de acesso a aplicativos”, explica a diretora do Procon Sergipe, Raquel Martins.

Dicas de segurança

O Procon Sergipe, órgão ligado à Secretaria de Justiça e de Defesa do Consumidor (Sejuc), orienta que os consumidores sergipanos tomem alguns cuidados no uso da internet no dia a dia.

1- Utilize apenas o seu computador ou celular para acessar aplicativos de banco
Evite abrir aplicativos de banco ou internet banking em equipamentos de trabalho ou de outras pessoas.

2- Mantenha o antivírus sempre atualizado
É importante manter o computador ou celular sempre protegido contra vírus que podem roubar os seus dados. Além disso, os antivírus podem identificar e excluir qualquer programa que possa roubar dados do seu aparelho.

3- Utilize senhas fortes
Utilizar códigos de acesso difíceis de desvendar e evitar a repetição dessas senhas é uma medida que pode oferecer mais segurança aos usuários. A autenticação de dois fatores impede que outras pessoas acessem aplicativos e sites apenas com a senha.

4- Nunca compartilhe dados confidenciais por mensagens, e-mail ou telefone
Mesmo que a pessoa do outro lado seja confiável, jamais envie senhas pessoais, número de cartão de crédito e outros dados sensíveis por mensagens.

5- Desconfie de mensagens e sites desconhecidos
Caso você receba solicitações para enviar dados e até valores por meio do WhatsApp, desconfie! Este é um golpe que vem sendo aplicado através da clonagem do aplicativo de mensagem ou mesmo de golpistas se passando pela pessoa com números diferentes. Também evite clicar em links que vieram de fontes que você não conhece. No caso de e-mails, é importante sempre verificar o endereço do remetente.

LGPD

Diversos países criaram, nos últimos anos, leis de proteção de dados para garantir regras para o armazenamento, manipulação e utilização dessas informações pelo mercado. No Brasil, em agosto de 2021, entrou em vigor a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Além de regular todas as atividades relacionadas aos dados de usuários, a LGPD tem como objetivo oferecer mais segurança aos usuários da internet que contratam serviços, realizam transações ou mesmo se comunicam.

O principal ponto desta lei é definir que as empresas só podem armazenar e utilizar os dados dos seus clientes e usuários mediante uma autorização.

Última atualização: 8 de fevereiro de 2024 10:00.